quinta-feira, junho 29, 2006

No dia da minha morte,
que todos batam palmas,
que cantem e dancem em redor de meu sepulcro
para que, bem lá no fundo,
me chegue ainda a euforia dos seus cantares

1 Comments:

Anonymous Brida said...

No dia da tua morte
nada mais ver ser possível se não ver as gentes e a terra a chorar
No dia da tua morte
a tua ausência vai por demais doer
por dentro vou sentir-me sangrar

Por isso não peças o que é impossível dar
não vai ser possível uma palma bater
jamais vai ser possível dançar...

2/7/06 23:17  

Enviar um comentário

<< Home